peri pane

Desde 2008 desenvolve o projeto de música e poesia Canções Velhas Para Embrulhar Peixes, ao lado do poeta arrudA, com três álbuns lançados.

Em 2009, Peri Pane lançou o disco “O Fantasma da Light” com o grupo Odegrau. No mesmo ano, apresentou o programa Ecoprático, na TV Cultura, ao lado de Anelis Assumpção.

Tocou violoncelo nos discos "O Que Vim Fazer Aqui”, de Alzira E, "ASA”, de Gustavo Galo, "do coração dos pés", de Daniel Viana, e "Canto de Árvore", de Lucina.

Em 2003, criou a ação Homem Refluxo, com performances em São Paulo, no Rio de Janeiro e em festivais na Europa: Drap Art 2006 (em Barcelona) e Napoli Teatro Festival (em Nápoles).

Suas canções “Tobogã pro Inferno” e “220 V” foram gravadas pelo grupo Cérebro Eletrônico e pela dupla Miranda Kassin e André Frateschi.

Tem ainda parcerias gravadas com Tatá Aeroplano (“Todos os Homens da Terra”), Gustavo Galo ("Nosso Amor É uma Droga" e "Moda"), Trupe Chá de Boldo (“Splix”, parceria com Ciça Góes e Gustavo Galo), Meno del Picchia (“Sabrina”) e Bárbara Eugênia ("Ouvi Dizer", a partir de poema de arrudA).

poeta arruda

poeta arruda

Entre os livros publicados do poeta arrudA estão “As menores distâncias podem levar uma vida” (Selo Edith/2010); “Isso que nos falta é tudo que temos”, com oito poemas dentro do projeto PORTAPOEMA (Publicações Iara/2012); “23 Poemas de arrudA” (Dulcineia Catadora/2012); e “A representação matemática das nuvens” (Patuá/2014).

O poeta tem parcerias musicais com Alzira E, Peri Pane, Tatá Aeroplano, Marcia Castro, Jerry Espíndola, Anelis Assumpção, Lucina Carvalho, Gustavo Galo, Selma Boragian, Bárbara Eugênia e Daniel Viana.

Lançou dois discos em parceria com Alzira E: “Alzira E” (DuncanDiscos/2007) e Pedindo a Palavra” (2010). Das parcerias com Alzira E, tem canções interpretadas por Zélia Duncan, Maria Alcina, Carlos Navas, Peri Pane, Fabiana Cozza e Ney Matogrosso no CD “Atento aos Sinais”, com a canção “Beijos de ímã” (Jerry Espíndola/Alzira E/arrudA) e "Beijos Longos" (Jerry Espíndola/Alzira E/arrudA), que foi interpretada por Ney Matogrosso no Programa Ensaio da TV Cultura com a cantora e compositora Alzira E.

otavio ortega

otavio ortega

Multiinstrumentista, compositor, arranjador e ator, trabalhou em diversas trilhas sonoras para o Grupo Oficina, de José Celso Martinez Corrêa, como “Os Sertões”, “Os Bandidos” e “Cacilda!”.

Toca piano e acordeom nos dois álbuns "Canções Velhas Para Embrulhar Peixes".

Trabalhou com artistas como Celso Sim, Junio Barreto, Karina Buhr, Thiago Petit e Ava Rocha em shows e gravações.

Fez a direção musical dos espetáculos teatrais “O Idiota” e “O Duelo”, da Companhia Mundana, apresentado em diversos festivais no Brasil e na Europa.

Assinou  a produção musical do CD “Circo Nerino”, em homenagem ao centenário do circo, contemplado com o prêmio Funarte Petrobras Carequinha de Estímulo ao Circo 2011.

Acaba de criar ao lado de Carol Coelho a Cia. Badulaque, com a qual montou o espetáculo infantil "O Saci", de Monteiro Lobato. 

marcelo dworecki

Multiinstrumentista, compositor e produtor musical, integra o grupo Bixiga 70 (vencedor do 25º Prêmio da Música Brasileira – categoria revelação), Strombólica e Sweet Flavour Band.

Além de tocar violão de aço e cavaquinho, Dworecki assina a produção musical dos dois álbuns "Canções Velhas Para Embrulhar Peixes", o segungo co-produzido com o parceiro Cris Scabello. Juntos eles já produziram "O que Vim Fazer Aqui", de Alzira E, e "Yermandê", de Ligia Kamada.

Recentemente criou o projeto Corte, no qual toca baixo e guitarra ao lado da compositora e cantora Alzira E e os parceiros Cuca (sax e flauta), Daniel Gralha (trompete) e Nandinho Thomaz (bateria).

Participou e compôs a trilha do espetáculo “Stapafurdyo” do circo Roda Brasil (com os grupos Parlapatões e Pia Fraus); compôs a trilha e atua no espetáculo “Bichos do Mundo”, da Pia Fraus e Strombólica.

 

É baixista da banda de Pipo Pegoraro. Colabora com as cantoras Karina Buhr e Anelis Assumpção.