Em “Canções Velhas Para Embrulhar Peixes", composições inéditas de Peri Pane e parcerias com o poeta arrudA tecem uma trama de temas contemporâneos. Com base no espetáculo homônimo realizado desde 2008 em São Paulo, o disco tem uma sonoridade intimista e uma formação totalmente acústica: Peri Pane (voz, violão e violoncelo), Otávio Ortega (acordeom e piano) e Marcelo Dworecki (violão de aço e cavaquinho), que também assina a produção musical.

O álbum conta com a intervenção poética de arrudA, na faixa “Sambinha”, e participação especial da compositora Alzira E, na canção

canções velhas para embrulhar peixes

“Saudade", com letra e música de Peri Pane.

Gravado durante o outono de 2012 no estúdio Traquitana, por Cris Scabello e Décio7, o álbum foi mixado por Victor Rice e masterizado por Fernando Sanches, no estúdio El Rocha.

A capa do CD foi inspirada no trabalho do coletivo Dulcinéia Catadora. Totalmente artesanal, é feita uma a uma em papelão reutilizado pelo artista plástico Rafael Gentile, a partir da técnica do estêncil.

O lançamento oficial do álbum foi em dezembro de 2012, com shows na Casa de Francisca e no auditório do Sesc Pinheiros.

Em 2013, o quarteto fez apresentações no

Sesc Vila Mariana, na abertura do Festival A(o)Gosto das Letras em Ourinhos (SP), participou do Festival Contato, em São José do Rio Preto, da Virada Cultural, além de shows no Centro Cultural São Paulo, Sesc Pompeia e parque da Água Branca.

Duas parcerias de Peri pane e arrudA ganharam clipes: "Note", com direção da dupla Iê - Clara Izabela e Zé Inlê e "Sambinha", com direção de Luís Dávila. "Sambinha" também entrou para a trilha do filme "Linha de Fuga 2.0", de Alexandre Stockler. A canção "Dulcineia" está na trilha do espetáculo "Os cavaleiros da triste figura", do grupo de teatro sergipano Boca de Cena.